NOSSA HISTÓRIA

Hospital e Maternidade Santa Isabel


Anteriormente, fundado em 24 de maio de 1858 como Hospital de Caridade Senhora da Conceição, em de 23 de outubro de 1900, de conformidade com o Decreto Lei n º 391 passou a ser chamado Hospital Santa Isabel. Em 30 de Setembro de 1924, foi fundada a Associação Aracajuana de Beneficência, mantedora do Hospital Santa Isabel e reconhecida como sociedade civil beneficente sem fins lucrativos de utilidade público federal, estadual e municipal. Naquela época o Hospital Santa Isabel mantinha 60 leitos distribuídos em três enfermarias e os pacientes ficavam aos cuidados de alguns médicos e enfermeiros.


O primeiro presidente do Hospital Santa Isabel foi o Coronel Terêncio Sampaio (1901), antes de seu mandato, em 1900, o hospital vinha sendo administrado por Barão de Maruim. Desde sua fundação até os dias atuais, os presidentes do HMSI:

1901 – Coronel Terêncio Sampaio

1902 – Joseph Dória Neto

1903 – Monsenhor Olympio de Souza Campos

1904 – Major Serafim José Moreira

1905 – Major Serafim José Moreira

1906 – Monsenhor Olympio de Souza Campos

1907/1908 – Major Serafim José Moreira

1909 – Desembargador Guilherme de Souza Campos

1910 (maio e junho) – Coronel Sabino José Ribeiro

1910/1911 – Dr. José Rodrigues da Costa Dória

1912/1924 – Desembargador Simeão Telles de Menezes Sobral

1924 (junho a setembro)–Dr. Maurício Graccho Cardoso

1924/1926 Almirante Amynthas José Jorge Prudente

1927/1930– Dr. João Alfredo de Marsillac Motta

1930/1931– Dr.João Alfredo de Marsillac Motta

1931/1942– Coronel Francisco de Souza Porto

1942/1944 – Dr. José Garcez Vieira

1944/1950 – Dr. Orlando Vieira Dantas

1957/1959– Dr. Manuel Ferreira da Silva Neto

1957/1967 – Dr. Gileno da Silveira Lima

1967/1973 – Dr. Antero Pales Carozo

1973/1979 – Dr. Paulo Emílio Lacerda Mota.

1979/1981 – Dr. Everton de Oliveira

1981 até os dias atuais – Dr. José Carlos Pinheiro da Silva


No inicio do século XX, as epidemias de cóleras devastavam o Estado, o Santa Isabel era o único hospital de Aracaju que atendia os doentes que não tinham outras condições para tratamento, o hospital funcionava precariamente por conta de crise financeira. Com o passar dos anos, em sua evolução obteve a primeira Laparotomia em 1914, a Maternidade Dr. João Firpo (denominado Maternidade Santa Isabel) em 1957, o Hospital Infantil Dr. José Machado de Souza em 1970, a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal em 2003, a Unidade de Urgência e Emergência Pediátrica em 2010, a Unidade de Terapia Intensiva Dr. Paulo Emílio Lacerda em 2011, o Centro Cirúrgico Dr. Carlos Muricy Souza em 2011, o Posto de Coleta de Leite Humano Dr. Fernando José Guedes Fontes em 2011 e a Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrico em 2015.


A entidade também é referência no Estado de Sergipe e regiões fronteiriças para cirurgia geral (ginecológica), cirurgia pediátrica, na atenção ao parto e nascimento. Realiza cirurgias de urgência (pacientes internos na unidade de cuidado intensivo – cirurgia pediátrica de média complexidade, de médio e grande porte), além de cirurgias eletivas. Habilitado a residência médica em anestesiologia, pediatria, neonatologia, medicina da família e comunidade, ginecologia e obstetrícia e cirurgia geral, e requereu habilitação para Hospital de Ensino.


Atualmente, o Hospital e Maternidade Santa Isabel tem 949 funcionários e possui 10 (dez) leitos de Unidade de Terapia Intensiva adulto – UTI, 07 (sete) leitos de Unidade de Terapia Intensiva Pediátrico – UTIP, 30 (trinta) leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), 30 (trinta) leitos de Unidade de Cuidado Neonatal Convencional – UCINCO, 40 (quarenta) leitos de cirurgia geral,  02 (dois) leitos Canguru, 10 (dez) leitos de clínica geral,  78 (setenta e oito) leitos de obstetrícia (clínica e cirúrgica) e 30 (trinta) leitos de pediatria (clínica e pediátrica), totalizando 237 leitos. Oferece vários serviços prestados de saúde de suma importância para a população como cirurgia geral, cirurgia ginecológica, cirurgia pediátrica, pediatria e neonatologia, com especialidade em dois serviços de urgências: obstetrícia e pediátrica. A quantidade de atendimentos a população vem crescendo a cada ano, em média, são realizados 5.640 cirurgias eletivas, 101.800 atendimentos pediátricos, 14.950 radiografias, 81.300 atendimentos laboratoriais, 1.750 ultrassonografias, 540 eletrocardiogramas, 600 admissões neonatais e 20.250 admissões obstétricas, destes, 11.500 partos por ano que chega a estatística de realização de 40% dos partos de todo o Estado de Sergipe, além de número significativo de partos de gestantes das cidades circunvizinhas do nosso Estado.


O Hospital e Maternidade Santa Isabel tem um papel importante na rede de saúde do Estado de Sergipe e regiões fronteiriças, pois é referência para cirurgia geral (ginecológica), cirurgia pediátrica, na atenção ao parto e nascimento e pediatria (urgência/emergência e cirurgia pediátrica). Tem requerido habilitação em alta complexidade em cirurgia neurológica e ortopédica, cujo processo tramita na Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju/SE. Cerca de 91% dos leitos da entidade são disponíveis para o Sistema Único de Saúde. E que os leitos de UTI Materna, UTIN, UCINCO são retaguarda exclusiva da Maternidade de Alto Risco (Maternidade Nossa Senhora de Lourdes), 35% dos leitos são destinados para os recém-nascidos graves nascidos no interior do estado e os demais 65% para os nascidos na Maternidade Santa Isabel. Os leitos da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica são exclusivos do SUS. Atualmente, é Hospital Escola comportando estágio de diversas áreas da saúde e complementares, como medicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia, nutrição, psicologia, análises clínicas e serviço social; possui especialização habilitado a residência médica em anestesiologia, pediatria, neonatologia, ginecologia e obstetrícia, medicina da família e comunidade e requereu habilitação para hospital de ensino.


Apesar das dificuldades existentes ao longo do tempo, o Hospital e Maternidade Santa Isabel sempre foi uma instituição filantrópica muito importante para o Estado. Atuante na assistência à saúde há mais de um século, reconhecida de utilidade pública pelo Decreto Federal nº 64.212 de 18/03/69, pela Lei Estadual nº 3.895 de 25/11/97, pela Lei nº 2.590 de 08/01/98 de Aracaju/SE e possui título de filantropia; é Registrada no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde nº 0002232, fazendo parte do programa de Contratualização de Hospitais Filantrópicos do Ministério da Saúde, do Hospital Horizontal de Aracaju/SE; é Classificado como Hospital Especializado tipo I, possuindo habilitação pelo Ministério da Saúde como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Terapia Nutricional, e também faz parte das Redes prioritárias do Ministério da Saúde: a Rede de Urgência e Emergência e a Rede Cegonha, a qual está voltada para qualificação e humanização ainda mais durante o parto garantindo amplamente os direitos da mulher e da criança, é Hospital Amigo da Criança e do Cuidado Amigo da Mulher.


A Rede Cegonha no Hospital e Maternidade Santa Isabel foi implantada em abril de 2014 e teve como plano de ação: reuniões periódicas com as equipes, elaboração de cronograma de reunião mensal para cada unidade, dificuldade de integração entre as categorias profissionais no processo de trabalho das unidades de produção, inclusão de espaço com representantes de todos os grupos na Comissão de Controle de Qualidade, ausência de espaços de compartilhamento sobre os processos de trabalho, criação de grupo de discussão e monitoramento. Através da Rede Cegonha houve adequações na estrutura da Ouvidoria, divulgação e treinamento dos colaboradores e realização de agendamentos de visitas das gestantes todas as quintas-feiras para conhecer as instalações da maternidade, os serviços proporcionados, o Posto de Coleta de Leite Humano e recebem orientações quanto à importância do Manejo do Aleitamento Materno.


Seguindo as diretrizes da Rede Cegonha para nortear a reorganização dos processos de trabalho nos serviços obstétricos-neonatais foi implantado no  Hospital e Maternidade Santa Isabel integralmente o Acolhimento e Classificação de Risco e a qualificação do acesso com a melhoria do acolhimento desde a porta de entrada; a garantia  de boas práticas e segurança na atenção ao parto e nascimento para manter o contato pele a pele mãe-filho, manter a amamentação na primeira hora de vida, estimular a amamentação livre demanda, livre escolha do acompanhante, reuniões antes da alta com as parturientes e acompanhantes sobre limpeza do coto umbilical, banho, teste do pezinho, imunização e registro de nascimento que pode ser realizado na própria Maternidade Santa Isabel.


A Maternidade Santa Isabel recebeu o selo Hospital Amigo da Criança em junho de 2014, e logo, o selo Hospital Cuidado Amigo da Mulher, essas conquistas deram-se através de diversas mudanças em procedimentos, investimentos na estrutura física, cursos de capacitação sobre o Manejo do Aleitamento Materno para todos os seus funcionários, tornando-os aptos a passar orientações as parturientes. A maternidade passou por uma criteriosa auditoria na unidade realizada por técnicos do Ministério da Saúde que analisou e aprovou “in loco” que a entidade atendia aos Dez Passos do Aleitamento Materno definidos pela OMS e pela Unicef.


 


Ascom


 


MISSÃO

Oferecer serviços de excelência em saúde, prestando assistência qualificada no atendimento materno-infantil, utilizando-se da ética e da humanização, direcionados à promoção da vida e à satisfação do paciente.


VISÃO

Ser referência no atendimento materno-infantil do Estado.